Blog Rolando Christian Coelho: Dimi Cardoso é confirmado como vereador em Sombrio  

Dimi Cardoso é confirmado como vereador em Sombrio  


Justiça Eleitoral promoveu ontem retotalização dos votos proporcionais da eleição municipal deste em Sombrio. Através deste expediente, os votos dos candidatados Janguinha Duarte, Nego Gomes, Carlinhos Gomes e Sí Baltazar, todos do MDB, que estavam sob judice, foram computados para a legenda do partido. Confirmando os cálculos que já haviam sido feitos na base da caneta, o candidato Dimi Cardoso (MDB) assegurou sua vaga na próxima legislatura. Em contrapartida, o candidato Jucimar Custódio, o Bujão (PSDB), que havia sido anunciado como eleito no último dia 15, não integrará a próxima legislatura. Com a retotalização, a futura prefeita Gislaine Dias da Cunha (MDB) passará a ter seis, dos onze vereadores, na sua base de governo.


Com retotalização, Gislaine terá maioria na Câmara  


Com a retotalização dos votos da eleição proporcional promovida em Sombrio, estão efetivamente eleitos pelo MDB os vereadores Marilon Moares, Jonas D’ávila e Dimi Cardoso. Pelo PP estão eleitos Peri Soares, Fernando da Silva Pereira, Dizo Colares e Dion Elias. Pelo PDT está eleito João Roseno. Pelo Democratas está eleito Gean Albino. Pelo PL está eleito Rafael Silva e pelo PRTB está eleito Adriano Coelho. A título de curiosidade, Marilon é conhecido popularmente como Chico do Maracujá. Rafael é conhecido como Rafael Enfermeiro e Adriano é conhecido como Adriano Magrão. Dos onze vereadores, Peri, Fernando, Dizo e João Roseno são reeleitos. Todos os demais são vereadores de primeira legislatura.


Posses e réveillon são dúvidas na região 


Pandemia de Covid-19 tem deixado um ponto de interrogação gigante diante de duas situação que envolvem o poder público municipal. O primeiro diz respeito às posses dos novos prefeitos e vices, sejam eles reeleitos, ou não, assim como dos vereadores que assumirão a partir de 1º de janeiro. A segunda questão está ligada as comemorações do réveillon, especialmente nos municípios litorâneos.


Com a absoluta maioria do Estado sob a tutela da temida bandeira vermelha, para Covid-19, qualquer tipo de aglomerações social está proibida. Com isto, as posses dos eleitos no último dia 15 de Novembro ficam comprometidas, no que diz respeito à presença popular. Por óbvio que elas acontecerão, até por conta dos preceitos constitucionais. A grande questão é saber se será possível a presença de convidados, ou se as posses serão meramente protocolares, com a assinatura de um livro ata, um pequeno discurso para meia dúzia de pessoas, e nada mais.


No que diz respeito ao réveillon tudo indica que ele será minguado, ou até mesmo inexistente, pelo menos por parte do poder público. Especialmente nos municípios litorâneos de nossa região, é mais do que tradicional a queima de fogos de artifício na noite do dia 31 de dezembro. O problema é que milhares de pessoas acabam se reunindo para acompanhar este tipo de evento, que, neste ano, é totalmente desaconselhável.


Se por um lado é praticamente impossível se promover um réveillon descente, por outro, é possível realizar uma posse aprazível, através da transmissão do ato via redes sociais. Em horas como esta, as famosas lives podem ser uma mão na roda para dar popularidade ao início de uma nova gestão.


Mais prazo para pagar IPTU atrapalha Kekinha  


Decisão da Prefeitura Municipal de Balneário Gaivota de adiar do dia 10 de janeiro, para 10 de março, o pagamento da primeira parcela do IPTU 2021, cheirou a retaliação, de acordo com membros do futuro governo do prefeito eleito Kekinha dos Santos (PSDB). É que em março praticamente todos os veranistas gaivotenses já deverão ter ido embora, sem ter pago o IPTU, diga-se de passagem. Se fosse mantida a data de 10 de janeiro, boa parte desta receita tributária de Gaivota já entraria nos primeiros dias de gestão da nova municipalidade, ajudando, dentre outras coisas, a limpar as toneladas de lixo que têm se acumulado pelas ruas e avenidas do município nos últimos anos.


Decisão de deputados de SC soa a irresponsabilidade  


Deputados estaduais incluíram, ontem, o ensino público e privado catarinense como atividade essencial, diante da pandemia de Covid-19. Se o projeto legislativo foi sancionado pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL), as redes de ensino do Estado poderão voltar as suas atividades. Ironicamente, a iniciativa dos ilustres parlamentares se dá justamente na hora em que praticamente todo o Estado catarinense está sob bandeira vermelha, no que diz respeito a Covid. Esperança é a de que o governador Carlos Moisés seja mais sensato do que os ilustres deputados e não sancione o projeto. Vale lembrar que, somente na semana passada, Santa Catarina registrou mais de 40 mil pessoas infectadas pelo coronavirus, e mais de 300 pessoas morreram em decorrência da doença.


Dimi Cardoso é confirmado como vereador em Sombrio  

Justiça Eleitoral promoveu ontem retotalização dos votos proporcionais da eleição municipal deste em Sombrio. Através deste expediente, os votos dos candidatados Janguinha Duarte, Nego Gomes, Carlinhos Gomes e Sí Baltazar, todos do MDB, que estavam sob judice, foram computados para a legenda do partido. Confirmando os cálculos que já haviam sido feitos na base da caneta, o candidato Dimi Cardoso (MDB) assegurou sua vaga na próxima legislatura. Em contrapartida, o candidato Jucimar Custódio, o Bujão (PSDB), que havia sido anunciado como eleito no último dia 15, não integrará a próxima legislatura. Com a retotalização, a futura prefeita Gislaine Dias da Cunha (MDB) passará a ter seis, dos onze vereadores, na sua base de governo.

Com retotalização, Gislaine terá maioria na Câmara  

Com a retotalização dos votos da eleição proporcional promovida em Sombrio, estão efetivamente eleitos pelo MDB os vereadores Marilon Moares, Jonas D’ávila e Dimi Cardoso. Pelo PP estão eleitos Peri Soares, Fernando da Silva Pereira, Dizo Colares e Dion Elias. Pelo PDT está eleito João Roseno. Pelo Democratas está eleito Gean Albino. Pelo PL está eleito Rafael Silva e pelo PRTB está eleito Adriano Coelho. A título de curiosidade, Marilon é conhecido popularmente como Chico do Maracujá. Rafael é conhecido como Rafael Enfermeiro e Adriano é conhecido como Adriano Magrão. Dos onze vereadores, Peri, Fernando, Dizo e João Roseno são reeleitos. Todos os demais são vereadores de primeira legislatura.

Posses e réveillon são dúvidas na região 

Pandemia de Covid-19 tem deixado um ponto de interrogação gigante diante de duas situação que envolvem o poder público municipal. O primeiro diz respeito às posses dos novos prefeitos e vices, sejam eles reeleitos, ou não, assim como dos vereadores que assumirão a partir de 1º de janeiro. A segunda questão está ligada as comemorações do réveillon, especialmente nos municípios litorâneos.

Com a absoluta maioria do Estado sob a tutela da temida bandeira vermelha, para Covid-19, qualquer tipo de aglomerações social está proibida. Com isto, as posses dos eleitos no último dia 15 de Novembro ficam comprometidas, no que diz respeito à presença popular. Por óbvio que elas acontecerão, até por conta dos preceitos constitucionais. A grande questão é saber se será possível a presença de convidados, ou se as posses serão meramente protocolares, com a assinatura de um livro ata, um pequeno discurso para meia dúzia de pessoas, e nada mais.

No que diz respeito ao réveillon tudo indica que ele será minguado, ou até mesmo inexistente, pelo menos por parte do poder público. Especialmente nos municípios litorâneos de nossa região, é mais do que tradicional a queima de fogos de artifício na noite do dia 31 de dezembro. O problema é que milhares de pessoas acabam se reunindo para acompanhar este tipo de evento, que, neste ano, é totalmente desaconselhável.

Se por um lado é praticamente impossível se promover um réveillon descente, por outro, é possível realizar uma posse aprazível, através da transmissão do ato via redes sociais. Em horas como esta, as famosas lives podem ser uma mão na roda para dar popularidade ao início de uma nova gestão.

Mais prazo para pagar IPTU atrapalha Kekinha  

Decisão da Prefeitura Municipal de Balneário Gaivota de adiar do dia 10 de janeiro, para 10 de março, o pagamento da primeira parcela do IPTU 2021, cheirou a retaliação, de acordo com membros do futuro governo do prefeito eleito Kekinha dos Santos (PSDB). É que em março praticamente todos os veranistas gaivotenses já deverão ter ido embora, sem ter pago o IPTU, diga-se de passagem. Se fosse mantida a data de 10 de janeiro, boa parte desta receita tributária de Gaivota já entraria nos primeiros dias de gestão da nova municipalidade, ajudando, dentre outras coisas, a limpar as toneladas de lixo que têm se acumulado pelas ruas e avenidas do município nos últimos anos.

Decisão de deputados de SC soa a irresponsabilidade  

Deputados estaduais incluíram, ontem, o ensino público e privado catarinense como atividade essencial, diante da pandemia de Covid-19. Se o projeto legislativo foi sancionado pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL), as redes de ensino do Estado poderão voltar as suas atividades. Ironicamente, a iniciativa dos ilustres parlamentares se dá justamente na hora em que praticamente todo o Estado catarinense está sob bandeira vermelha, no que diz respeito a Covid. Esperança é a de que o governador Carlos Moisés seja mais sensato do que os ilustres deputados e não sancione o projeto. Vale lembrar que, somente na semana passada, Santa Catarina registrou mais de 40 mil pessoas infectadas pelo coronavirus, e mais de 300 pessoas morreram em decorrência da doença.

Compartilhe

Voltar ao blog