Blog Rolando Christian Coelho: congresso admite mudança da eleição

Rolando Christian Coelho, 20/05/2020

Senado e Câmara Federal já admitem a mudança da eleição municipal deste ano para uma outra data, por conta da pandemia de covid-19. Em princípio, ela aconteceria no dia 4 de outubro, em primeiro turno, e dia 25 de outubro, em segundo turno. De acordo com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM), “tudo indica que não será possível realizar o primeiro turno no início de outubro”. O problema não é a eleição em si. Os indicadores dão conta de que a pandemia estará controlada no máximo em setembro. No entanto, uma série de atividades ligadas à eleição precisariam ser realizadas até lá, a exemplo das convenções partidárias e da montagem de toda a estrutura necessária para garantir o pleito, por parte do Tribunal Superior Eleitoral e dos Tribunais Regionais Eleitorais.

Rodrigo Maia, e o presidente do senado, David Alcolumbre, já conversaram com os líderes partidários sobre o assunto. Num primeiro momento, todos concordam que a mudança da data é uma necessidade, mas refutam qualquer iniciativa no sentido de unificar a eleição de 2020 à de 2022. Por conta disto, é muito provável que o Congresso vote uma mudança na Constituição que permita a realização da eleição em novembro ou dezembro.

Vale lembrar que o TSE já possui um comitê montando para analisar a possibilidade de mudança nas datas da eleição deste ano. Sendo assim, o que se observa é que há uma convergência entre o legislativo e o judiciário federal objetivando a mudança. Por enquanto, a data mais defendida como uma alternativa ao 4 de outubro é o dia 15 de novembro, que, neste ano, além de ser domingo, também é um feriado nacional, o que facilitaria o comparecimento nas urnas daquelas pessoas que trabalham nos finais de semana.

Neno Fontoura diz que PSD só se definirá em julho

Vereador araranguaense Neno Fontoura (PSD) diz que seu partido só irá se posicionar em relação a coligações, com vistas ao pleito deste ano, a partir de julho. “Tudo está muito indefinido ainda. Temos que ver primeiro em que dia de fato a eleição será realizada, como também saber quem de fato serão os candidatos a prefeito em Araranguá”, comenta o parlamentar. De acordo com Neno, sem estas duas definições o PSD não tem como se posicionar. “Seria como colocar o carro na frente dos bois”. Questionado sobre uma possível aliança com o MDB, do empresário César Cesa, o vereador se resumiu a dizer que “o jogo ainda está aberto”.

MDB de Santa Rosa diz que terá candidato a prefeito

Ex-vice-prefeito de Santa Rosa do Sul, Geovano Cândido Gomes (MDB), diz que seu partido tem tudo para ter candidato a prefeito neste ano no município. Em Santa Rosa, são grandes as especulações dando conta de que o MDB estaria propenso a concorrer como candidato a vice do PSDB, partido que deverá lançar o ex-secretário de Governo, Almides Rosa, como candidato a prefeito. Conforme Geovano, no entanto, pela ordem natural da política, o MDB é quem deve encabeçar a chapa majoritária, cabendo ao PSDB a indicação do vice. De acordo com ele, uma possível dobradinha entre MDB e PSDB provavelmente enfrentaria uma candidatura do PSD, apoiada pelo Progressistas.

Eleição unificada em 2022 está descartada

Nas discussões que estão ocorrendo no Senado Federal, na Câmara Federal e no Tribunal Superior Eleitoral, não tem sido cogitada a mínima possibilidade de que o pleito eleitoral deste ano seja realizado em conjunto com o de 2022, o que ampliaria os mandados dos atuais prefeitos, vices e vereadores por mais dois anos. Até mesmo a possibilidade de que a eleição acontecesse no primeiro trimestre de 2021, com juízes eleitorais assumindo a responsabilidade pela gestão dos municípios de sua jurisdição, por até 90 dias, foi rechaçada. Em princípio, tudo converge, de fato, para que a eleição aconteça neste ano e que a posse nos novos eleitos se dê em 1º de janeiro.

Lar do Idoso e Apae de Sombrio serão beneficiadas pela Câmara

Câmara Municipal de Vereadores de Sombrio aprovou projeto de lei que permitirá a destinação das sobras financeiras do legislativo para o Lar do Idoso São José, como também para a Apae do município. Tradicionalmente, tais sobras eram devolvidas ao executivo, fato este geralmente condicionado a realização de alguma obra no setor viário. Desde 2017, o vereador Peri Soares (PP) tentava a aprovação do projeto, mas não tinha os votos suficientes para isto. Nesta semana, a aprovação finalmente aconteceu. Já a partir deste ano, todo o dinheiro que sobrar na Câmara de Vereadores será destinado a estas duas instituições, através de um Fundo de Apoio criado especificamente para este fim.



 

Senado e Câmara Federal já admitem a mudança da eleição municipal deste ano para uma outra data, por conta da pandemia de covid-19. Em princípio, ela aconteceria no dia 4 de outubro, em primeiro turno, e dia 25 de outubro, em segundo turno. De acordo com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM), “tudo indica que não será possível realizar o primeiro turno no início de outubro”. O problema não é a eleição em si. Os indicadores dão conta de que a pandemia estará controlada no máximo em setembro. No entanto, uma série de atividades ligadas à eleição precisariam ser realizadas até lá, a exemplo das convenções partidárias e da montagem de toda a estrutura necessária para garantir o pleito, por parte do Tribunal Superior Eleitoral e dos Tribunais Regionais Eleitorais.

Rodrigo Maia, e o presidente do senado, David Alcolumbre, já conversaram com os líderes partidários sobre o assunto. Num primeiro momento, todos concordam que a mudança da data é uma necessidade, mas refutam qualquer iniciativa no sentido de unificar a eleição de 2020 à de 2022. Por conta disto, é muito provável que o Congresso vote uma mudança na Constituição que permita a realização da eleição em novembro ou dezembro.

Vale lembrar que o TSE já possui um comitê montando para analisar a possibilidade de mudança nas datas da eleição deste ano. Sendo assim, o que se observa é que há uma convergência entre o legislativo e o judiciário federal objetivando a mudança. Por enquanto, a data mais defendida como uma alternativa ao 4 de outubro é o dia 15 de novembro, que, neste ano, além de ser domingo, também é um feriado nacional, o que facilitaria o comparecimento nas urnas daquelas pessoas que trabalham nos finais de semana.

Neno Fontoura diz que PSD só se definirá em julho

Vereador araranguaense Neno Fontoura (PSD) diz que seu partido só irá se posicionar em relação a coligações, com vistas ao pleito deste ano, a partir de julho. “Tudo está muito indefinido ainda. Temos que ver primeiro em que dia de fato a eleição será realizada, como também saber quem de fato serão os candidatos a prefeito em Araranguá”, comenta o parlamentar. De acordo com Neno, sem estas duas definições o PSD não tem como se posicionar. “Seria como colocar o carro na frente dos bois”. Questionado sobre uma possível aliança com o MDB, do empresário César Cesa, o vereador se resumiu a dizer que “o jogo ainda está aberto”.

MDB de Santa Rosa diz que terá candidato a prefeito

Ex-vice-prefeito de Santa Rosa do Sul, Geovano Cândido Gomes (MDB), diz que seu partido tem tudo para ter candidato a prefeito neste ano no município. Em Santa Rosa, são grandes as especulações dando conta de que o MDB estaria propenso a concorrer como candidato a vice do PSDB, partido que deverá lançar o ex-secretário de Governo, Almides Rosa, como candidato a prefeito. Conforme Geovano, no entanto, pela ordem natural da política, o MDB é quem deve encabeçar a chapa majoritária, cabendo ao PSDB a indicação do vice. De acordo com ele, uma possível dobradinha entre MDB e PSDB provavelmente enfrentaria uma candidatura do PSD, apoiada pelo Progressistas.

Eleição unificada em 2022 está descartada

Nas discussões que estão ocorrendo no Senado Federal, na Câmara Federal e no Tribunal Superior Eleitoral, não tem sido cogitada a mínima possibilidade de que o pleito eleitoral deste ano seja realizado em conjunto com o de 2022, o que ampliaria os mandados dos atuais prefeitos, vices e vereadores por mais dois anos. Até mesmo a possibilidade de que a eleição acontecesse no primeiro trimestre de 2021, com juízes eleitorais assumindo a responsabilidade pela gestão dos municípios de sua jurisdição, por até 90 dias, foi rechaçada. Em princípio, tudo converge, de fato, para que a eleição aconteça neste ano e que a posse nos novos eleitos se dê em 1º de janeiro.

Lar do Idoso e Apae de Sombrio serão beneficiadas pela Câmara

Câmara Municipal de Vereadores de Sombrio aprovou projeto de lei que permitirá a destinação das sobras financeiras do legislativo para o Lar do Idoso São José, como também para a Apae do município. Tradicionalmente, tais sobras eram devolvidas ao executivo, fato este geralmente condicionado a realização de alguma obra no setor viário. Desde 2017, o vereador Peri Soares (PP) tentava a aprovação do projeto, mas não tinha os votos suficientes para isto. Nesta semana, a aprovação finalmente aconteceu. Já a partir deste ano, todo o dinheiro que sobrar na Câmara de Vereadores será destinado a estas duas instituições, através de um Fundo de Apoio criado especificamente para este fim.

 

Compartilhe

Voltar às notícias