Blog Rolando Christian Coelho: as picaretagens que não colarão este ano 

Várias picaretagens cometidas nas eleições municipais não conseguirão ser emplacadas no pleito deste ano. A principal delas diz respeito à inscrição de mulheres como candidaturas a vereadora, meramente para preencher os tais 30% das vagas proporcionais destinadas a gênero. Muitas das tais “candidatas” eram lançadas meramente para cumprir com critérios técnicos exigidos pela Lei Eleitoral, mas não faziam efetivamente campanha. Depois da última eleição esta prática passou a ser severamente punida, e dezenas de vereadores eleitos, em vários Estados do país, acabaram perdendo seus mandatos, sob acusação de fraude eleitoral, inclusive em nossa região. É que, supostamente, eles teriam sido eleitos por conta de uma maquiagem fraudulenta que objetivava dar legalidade à chapa de vereadores de determinado partido ou coligação. O partido que fizer isto este ano, já tem cem por cento de certeza que irá se incomodar.


A pandemia de Covid-10 também desarticulou várias outras artimanhas das eleições municipais. A principal delas são os tais dos aniversários próximos à data da eleição. Pela Lei Eleitoral, é proibido fazer reuniões com oferecimento de alimentação. Os famosos carreteiros de campanha já estão proibidos faz tempo. Para burlar esta regra, era inventada uma festa de aniversário. Bastava pagar a festa de alguém que fizesse aniversário próximo da data da eleição, que o problema estava resolvido. O aniversariante ganhava uma festa de graça e ainda levava uma grana por fora. Por sua vez, o político que pagava a festa podia convidar qualquer um para o aniversário, dando comida e bebida de graça. O local acabava se transformando no ambiente ideal para a amarra de votos. Para azar dos aniversariantes deste período eleitoral, por conta da Covid, festas estão proibidas.


 PSD de Santa Rosa do Sul solicita registro de majoritária  


 PSD de Santa Rosa do Sul solicitou registro de candidatura majoritária, com Dorinha Oliveira concorrendo como candidato a prefeito, e Nadir Matos da Silva concorrendo como vice-prefeito. O partido não conseguiu se entender com o Progressistas, que lançou chapa pura, através das candidaturas de Nelmo Emerim a prefeito, e Alex Bristot a vice. Basicamente, o PSD, que comanda o executivo municipal através do prefeito Nelson Cardoso de Oliveira, queria que o Progressistas, do vice-prefeito Nelmo, apoiasse novamente um pessedista, o que não foi aceito. Sem entendimento, Nelmo e Alex acabaram sendo lançados candidatos e o PSD ficou sem um nome para a disputa. A ata da convenção do PSD foi mandada para Justiça Eleitoral contando apenas com o nome de um vice. Em seguida foi solicitado o registro de Dorinha e Nadir. Situação ainda pode ter demanda judicial, mas, por ora, eles são candidatos à majoritária.


PP de Arroio e PSDB de Morro Grande desistem de concorrer  


O Progressistas de Balneário Arroio do Silva, e o PSDB de Morro Grande, decidiram não levar suas candidaturas a prefeito adiante. Em Arroio, o Progressistas havia lançado chapa pura, com Edmilson Aguiar concorrendo a prefeito, e Dionatan Giusti concorrendo a vice. O projeto não será levado adiante. Ainda assim, o município conta com outras três candidaturas majoritárias, compostas por Evandro Scaini (PSL) e Carlos Scarsanella (PSL), Everton Pinto (PDT) e Nito de Paula (PT), e ainda Daniel Mota e Ranieri Cardoso, ambos do Solidariedade. Já em Morro Grande, Oscar Coral (PSDB) e Ézio Tomazi (PL) desistiram da disputa. Com isso, o ex-prefeito Clélio Daniel Olivo, o Kéio (PP), concorrerá com chapa única, tendo como candidato a vice Tatim Favarim (MDB). Os partidos de oposição deverão se engajar a este projeto, que não é consenso dentro do MDB, já que uma forte ala do partido não aceita apoiar o Progressistas.  


 PSL de Araranguá rompe com PP e se alia ao MDB 


 PSL de Araranguá mudou direção de seu curso e não estará mais junto com o Progressistas, do candidato a prefeito Daniel Viriato. O partido do ex-vice-prefeito Rodrigo Turatti vai apoiar o projeto de eleição do candidato a prefeito César Cesa (MDB). Em princípio, a cúpula do PSL alega que não se sentia integrada à coligação de Daniel. O reforço na candidatura de César é substancial, não só pela figura de Turatti, que exerce forte influência na política araranguaense, mas também pelo engajamento de vários outros líderes políticos que são ligados à legenda. Daniel era apoiado por seis partidos, e César por cinco. Com a mudança de postura do PSL, o jogo, neste sentido, virou. Em Araranguá, também concorrerem à prefeitura os candidatos Ricardo Ghellere (PRTB), Igor Batista Gomes (PL) e Felipe Damásio (Psol).


Redes sociais ficaram entupidas de propaganda eleitoral  


Redes sociais ficaram entupidas de santinhos de campanha tão logo rompeu o primeiro minuto do dia de ontem, 27 de setembro, data que marcou a largada oficial para a corrida eleitoral deste ano. Alguns candidatos também já publicaram vídeos institucionais ao longo de domingo, nitidamente dando o toque de caixa da campanha deste ano, que deverá usar muito a Internet. É preciso cuidado, no entanto, para não abusar da paciência do eleitor. As redes sociais são muito boas para àqueles que têm conteúdo para mostrar, seja pela situação, seja pela oposição. Lenga lenga, defesas do indefensável ou tijoladas indevidas tendem a render mais prejuízos do que benefícios. Em que pese a empolgação exagerada de muitos, o que foi mostrado até agora está dentro do aceitável.


Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Várias picaretagens cometidas nas eleições municipais não conseguirão ser emplacadas no pleito deste ano. A principal delas diz respeito à inscrição de mulheres como candidaturas a vereadora, meramente para preencher os tais 30% das vagas proporcionais destinadas a gênero. Muitas das tais “candidatas” eram lançadas meramente para cumprir com critérios técnicos exigidos pela Lei Eleitoral, mas não faziam efetivamente campanha. Depois da última eleição esta prática passou a ser severamente punida, e dezenas de vereadores eleitos, em vários Estados do país, acabaram perdendo seus mandatos, sob acusação de fraude eleitoral, inclusive em nossa região. É que, supostamente, eles teriam sido eleitos por conta de uma maquiagem fraudulenta que objetivava dar legalidade à chapa de vereadores de determinado partido ou coligação. O partido que fizer isto este ano, já tem cem por cento de certeza que irá se incomodar.

A pandemia de Covid-10 também desarticulou várias outras artimanhas das eleições municipais. A principal delas são os tais dos aniversários próximos à data da eleição. Pela Lei Eleitoral, é proibido fazer reuniões com oferecimento de alimentação. Os famosos carreteiros de campanha já estão proibidos faz tempo. Para burlar esta regra, era inventada uma festa de aniversário. Bastava pagar a festa de alguém que fizesse aniversário próximo da data da eleição, que o problema estava resolvido. O aniversariante ganhava uma festa de graça e ainda levava uma grana por fora. Por sua vez, o político que pagava a festa podia convidar qualquer um para o aniversário, dando comida e bebida de graça. O local acabava se transformando no ambiente ideal para a amarra de votos. Para azar dos aniversariantes deste período eleitoral, por conta da Covid, festas estão proibidas.

 PSD de Santa Rosa do Sul solicita registro de majoritária  

 PSD de Santa Rosa do Sul solicitou registro de candidatura majoritária, com Dorinha Oliveira concorrendo como candidato a prefeito, e Nadir Matos da Silva concorrendo como vice-prefeito. O partido não conseguiu se entender com o Progressistas, que lançou chapa pura, através das candidaturas de Nelmo Emerim a prefeito, e Alex Bristot a vice. Basicamente, o PSD, que comanda o executivo municipal através do prefeito Nelson Cardoso de Oliveira, queria que o Progressistas, do vice-prefeito Nelmo, apoiasse novamente um pessedista, o que não foi aceito. Sem entendimento, Nelmo e Alex acabaram sendo lançados candidatos e o PSD ficou sem um nome para a disputa. A ata da convenção do PSD foi mandada para Justiça Eleitoral contando apenas com o nome de um vice. Em seguida foi solicitado o registro de Dorinha e Nadir. Situação ainda pode ter demanda judicial, mas, por ora, eles são candidatos à majoritária.

PP de Arroio e PSDB de Morro Grande desistem de concorrer  

O Progressistas de Balneário Arroio do Silva, e o PSDB de Morro Grande, decidiram não levar suas candidaturas a prefeito adiante. Em Arroio, o Progressistas havia lançado chapa pura, com Edmilson Aguiar concorrendo a prefeito, e Dionatan Giusti concorrendo a vice. O projeto não será levado adiante. Ainda assim, o município conta com outras três candidaturas majoritárias, compostas por Evandro Scaini (PSL) e Carlos Scarsanella (PSL), Everton Pinto (PDT) e Nito de Paula (PT), e ainda Daniel Mota e Ranieri Cardoso, ambos do Solidariedade. Já em Morro Grande, Oscar Coral (PSDB) e Ézio Tomazi (PL) desistiram da disputa. Com isso, o ex-prefeito Clélio Daniel Olivo, o Kéio (PP), concorrerá com chapa única, tendo como candidato a vice Tatim Favarim (MDB). Os partidos de oposição deverão se engajar a este projeto, que não é consenso dentro do MDB, já que uma forte ala do partido não aceita apoiar o Progressistas.  

 PSL de Araranguá rompe com PP e se alia ao MDB 

 PSL de Araranguá mudou direção de seu curso e não estará mais junto com o Progressistas, do candidato a prefeito Daniel Viriato. O partido do ex-vice-prefeito Rodrigo Turatti vai apoiar o projeto de eleição do candidato a prefeito César Cesa (MDB). Em princípio, a cúpula do PSL alega que não se sentia integrada à coligação de Daniel. O reforço na candidatura de César é substancial, não só pela figura de Turatti, que exerce forte influência na política araranguaense, mas também pelo engajamento de vários outros líderes políticos que são ligados à legenda. Daniel era apoiado por seis partidos, e César por cinco. Com a mudança de postura do PSL, o jogo, neste sentido, virou. Em Araranguá, também concorrerem à prefeitura os candidatos Ricardo Ghellere (PRTB), Igor Batista Gomes (PL) e Felipe Damásio (Psol).

Redes sociais ficaram entupidas de propaganda eleitoral  

Redes sociais ficaram entupidas de santinhos de campanha tão logo rompeu o primeiro minuto do dia de ontem, 27 de setembro, data que marcou a largada oficial para a corrida eleitoral deste ano. Alguns candidatos também já publicaram vídeos institucionais ao longo de domingo, nitidamente dando o toque de caixa da campanha deste ano, que deverá usar muito a Internet. É preciso cuidado, no entanto, para não abusar da paciência do eleitor. As redes sociais são muito boas para àqueles que têm conteúdo para mostrar, seja pela situação, seja pela oposição. Lenga lenga, defesas do indefensável ou tijoladas indevidas tendem a render mais prejuízos do que benefícios. Em que pese a empolgação exagerada de muitos, o que foi mostrado até agora está dentro do aceitável.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar ao blog