Blog Rolando Christian Coelho: a debandada dos prefeitos frente à 2020 

Não é pequena a lista de prefeitos de nossa região que poderiam disputar a reeleição neste ano, mas que estão preferindo acompanhar o embate de Novembro fora do epicentro da disputa. Em Araranguá, Mariano Mazzuco Neto (PP) declinou da possibilidade de concorrer a um quarto mandato, e está apoiando o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Daniel Viriato Afonso (PP) em seu projeto majoritário. Em Balneário Arroio do Silva, o prefeito Juscelino Guimarães, o Mineiro (PSDB), tomou a mesma atitude. Por ora ele aguarda para saber com quem seu grupo político fechará questão, para, então, declarar apoio também.


Em Macarajá não foi diferente. Mesmo com direito a disputar à reeleição, prefeito Arlindo Rocha chegou a deixar o PSDB e ficar sem filiação, o que, propositalmente, inviabilizou seu nome para o pleito de 2020. Ele irá apoiar a candidatura de Aníbal Brambilla (PSD).


Em Turvo, o prefeito Tiago Zilli (MDB) anunciou, já no início do ano, que não disputaria a reeleição. No próximo dia 16 o MDB deverá decidir se seu candidato a prefeito será o atual vice, Edson Pisca Dagostin, ou o ex-prefeito Heriberto Schmidt. O nome indicado pelo partido será apoiado por Zilli. Já em Praia Grande, o prefeito Henrique Maciel (PSL) também está declinando da possibilidade de concorrer à reeleição. Seus esforços deverão convergir para a candidatura de Fanica Machado (PP), que o apoiou em 2016.


No fim das contas, dos dez prefeitos que poderiam disputar à reeleição, cinco já desistiram do embate. Os que irão tentar um segundo mandato consecutivo são os prefeitos de São João do Sul, Moacir Teixeira (MDB), de Passo de Torres, Jonas Souza (MDB), de Jacinto Machado, João Batista Mezzari (MDB), de Timbé do Sul, Beto Biava (PP) e de Meleiro, Eder Mattos (PL).


Scaini e Scarsanella serão homologados no domingo 


Chapa pura composta pelo PSL de Balneário Arroio do Silva será homologada no próximo domingo, às 15h, no salão de festas do Hotel Scaini. A majoritária será composta pelo ex-prefeito Evandro Scaini e pelo atual vice-prefeito Carlos Scarsanella. A aliança em torno do PSL conta com MDB, PV e PSC. O grupo representa a oposição ao prefeito Juscelino Guimarães, o Mineiro (PSDB), que está circundado por um grupo de partidos capitaneados tanto pelos tucanos, quanto pelos progressistas. Este grupo situacionista, no entanto, ainda não definiu, de forma assertiva, quem será seu candidato a prefeito. Paralelo a isto, há a possibilidade do lançamento de uma candidatura que represente uma frente de esquerda no município.


PSL de Araranguá e Sombrio ainda analisam cenários  


PSL de Araranguá e também de Sombrio, estão diante de um empasse com vista ao pleito municipal deste ano. Na Cidade das Avenidas o partido estava mantendo franca conversação com Progressistas, do pré-candidato a prefeito Daniel Viriato Afonso. Nos últimos dias, no entanto, foram abertas conversações com o MDB, do pré-candidato César Cesa, e com o PRTB, do pré-candidato Ricardo Ghellerre. Já em Sombrio, o PSL vem sendo assediado, de forma quase acintosa, tanto pelo MDB, quanto pelo Progressistas. No município, a sigla sofreu uma debandada, perdendo praticamente todos os seus principais filiados para o PRTB. Todavia, possui um bom tempo de rádio no programa eleitoral gratuito, e, quem sabe, fonte nobre de acesso ao Fundo Eleitoral.



Mesmo com chapa pura, MDB de Sombrio mantém aliança 



Passados cinco dias desde que MDB oficializou anúncio do lançamento de chapa majoritária pura, em Sombrio, o clima é de amenidade na coligação que orbita o partido. A dupla composta por Gislaine Cunha e Jeriel Isoppo acabou ponto fim a uma série de especulações a respeito de quem comporia como vice da candidata apoiada pelo prefeito Zênio Cardoso (MDB). Em princípio, não restaram arestas a serem aparadas. PDT, PL, PSC e Democratas, que, através de lideranças, postulavam a vaga de vice, acabaram concordando com a dobradinha emedebistas. Por ora, não há nem sinal de rompimento individual, ou de debandada rumo à oposição.


Região deverá ter quase 40 candidatos a prefeito 


Por enquanto, região possui 39 pré-candidatos a prefeito, distribuídos em 15 municípios. É a maior quantidade de postulantes ao executivo já lançada até hoje no Extremo Sul. Araranguá e Balneário Gaivota são os municípios que possuem mais pré-candidatos: quatro cada um. Por sua vez, deverão ter três candidaturas a prefeito os municípios de Balneário Arroio do Silva, Meleiro, Turvo, Sombrio e Passo de Torres. Com as tradicionais duas candidaturas, deveremos ter Maracajá, Morro Grande, Timbé do Sul, Ermo, Jacinto Machado, Santa Rosa do Sul, São Joao do Sul e Praia Grande. Todo o cenário, no entanto, poderá ser redefinido até o próximo dia 16, quanto se encerra o prazo para a realização das convenções.

Não é pequena a lista de prefeitos de nossa região que poderiam disputar a reeleição neste ano, mas que estão preferindo acompanhar o embate de Novembro fora do epicentro da disputa. Em Araranguá, Mariano Mazzuco Neto (PP) declinou da possibilidade de concorrer a um quarto mandato, e está apoiando o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Daniel Viriato Afonso (PP) em seu projeto majoritário. Em Balneário Arroio do Silva, o prefeito Juscelino Guimarães, o Mineiro (PSDB), tomou a mesma atitude. Por ora ele aguarda para saber com quem seu grupo político fechará questão, para, então, declarar apoio também.

Em Macarajá não foi diferente. Mesmo com direito a disputar à reeleição, prefeito Arlindo Rocha chegou a deixar o PSDB e ficar sem filiação, o que, propositalmente, inviabilizou seu nome para o pleito de 2020. Ele irá apoiar a candidatura de Aníbal Brambilla (PSD).

Em Turvo, o prefeito Tiago Zilli (MDB) anunciou, já no início do ano, que não disputaria a reeleição. No próximo dia 16 o MDB deverá decidir se seu candidato a prefeito será o atual vice, Edson Pisca Dagostin, ou o ex-prefeito Heriberto Schmidt. O nome indicado pelo partido será apoiado por Zilli. Já em Praia Grande, o prefeito Henrique Maciel (PSL) também está declinando da possibilidade de concorrer à reeleição. Seus esforços deverão convergir para a candidatura de Fanica Machado (PP), que o apoiou em 2016.

No fim das contas, dos dez prefeitos que poderiam disputar à reeleição, cinco já desistiram do embate. Os que irão tentar um segundo mandato consecutivo são os prefeitos de São João do Sul, Moacir Teixeira (MDB), de Passo de Torres, Jonas Souza (MDB), de Jacinto Machado, João Batista Mezzari (MDB), de Timbé do Sul, Beto Biava (PP) e de Meleiro, Eder Mattos (PL).

Scaini e Scarsanella serão homologados no domingo 

Chapa pura composta pelo PSL de Balneário Arroio do Silva será homologada no próximo domingo, às 15h, no salão de festas do Hotel Scaini. A majoritária será composta pelo ex-prefeito Evandro Scaini e pelo atual vice-prefeito Carlos Scarsanella. A aliança em torno do PSL conta com MDB, PV e PSC. O grupo representa a oposição ao prefeito Juscelino Guimarães, o Mineiro (PSDB), que está circundado por um grupo de partidos capitaneados tanto pelos tucanos, quanto pelos progressistas. Este grupo situacionista, no entanto, ainda não definiu, de forma assertiva, quem será seu candidato a prefeito. Paralelo a isto, há a possibilidade do lançamento de uma candidatura que represente uma frente de esquerda no município.

PSL de Araranguá e Sombrio ainda analisam cenários  

PSL de Araranguá e também de Sombrio, estão diante de um empasse com vista ao pleito municipal deste ano. Na Cidade das Avenidas o partido estava mantendo franca conversação com Progressistas, do pré-candidato a prefeito Daniel Viriato Afonso. Nos últimos dias, no entanto, foram abertas conversações com o MDB, do pré-candidato César Cesa, e com o PRTB, do pré-candidato Ricardo Ghellerre. Já em Sombrio, o PSL vem sendo assediado, de forma quase acintosa, tanto pelo MDB, quanto pelo Progressistas. No município, a sigla sofreu uma debandada, perdendo praticamente todos os seus principais filiados para o PRTB. Todavia, possui um bom tempo de rádio no programa eleitoral gratuito, e, quem sabe, fonte nobre de acesso ao Fundo Eleitoral.

Mesmo com chapa pura, MDB de Sombrio mantém aliança 

Passados cinco dias desde que MDB oficializou anúncio do lançamento de chapa majoritária pura, em Sombrio, o clima é de amenidade na coligação que orbita o partido. A dupla composta por Gislaine Cunha e Jeriel Isoppo acabou ponto fim a uma série de especulações a respeito de quem comporia como vice da candidata apoiada pelo prefeito Zênio Cardoso (MDB). Em princípio, não restaram arestas a serem aparadas. PDT, PL, PSC e Democratas, que, através de lideranças, postulavam a vaga de vice, acabaram concordando com a dobradinha emedebistas. Por ora, não há nem sinal de rompimento individual, ou de debandada rumo à oposição.

Região deverá ter quase 40 candidatos a prefeito 

Por enquanto, região possui 39 pré-candidatos a prefeito, distribuídos em 15 municípios. É a maior quantidade de postulantes ao executivo já lançada até hoje no Extremo Sul. Araranguá e Balneário Gaivota são os municípios que possuem mais pré-candidatos: quatro cada um. Por sua vez, deverão ter três candidaturas a prefeito os municípios de Balneário Arroio do Silva, Meleiro, Turvo, Sombrio e Passo de Torres. Com as tradicionais duas candidaturas, deveremos ter Maracajá, Morro Grande, Timbé do Sul, Ermo, Jacinto Machado, Santa Rosa do Sul, São Joao do Sul e Praia Grande. Todo o cenário, no entanto, poderá ser redefinido até o próximo dia 16, quanto se encerra o prazo para a realização das convenções.

Compartilhe

Voltar ao blog