Blog Paulo de Tarso: Acordei sem vontade de sair da cama

Está um dia cinza, mesmo com o sol lá fora. Tem tempo que não brilha o sol no meu dia.

Levantei sem vontade, pois tem que trabalhar e não quero escutar novamente que é drama ficar deitado. Eu sei que não é bom, mas não tenho vontade de fazer nada.

Passo uma água no rosto, e vou pra rua. Passando na frente de uma vitrine noto que, novamente, não fiz a barba. Não me reconheci, não vejo além da tristeza que está estampada nos olhos daquela pessoa que o reflexo me mostra.

No trabalho, só penso em voltar pra casa. Não consigo produzir nada de diferente, me tornei aquele funcionário mediano. Mas, de cera forma, estou conformado com isso. Só quero ir pra casa.

Final do dia, os colegas já nem me convidam mais para seja lá o que for, um futebol, uma cerveja. Sabem que a resposta vai ser a mesma: "outra hora".

Chego em casa, fecho as janelas para não precisar lidar com a claridade de outro final de dia. Respondo rapidamente os mesmos questionamentos de como as coisas estão, mas cada vez de um grupo menor de pessoas. E vou dormir.

Durmo, até mais ou menos metade da madrugada, quando um pesadelo me desperta e eu fico lembrando de como minha vida era feliz, de como o sol brilhava e que pela manhã tudo era novo. Assim fico rolando de um lado para o outro até o despertador me avisar que é hora de ir trabalhar.

Achou o texto pesado? Podemos dizer que ele representa uma caricatura do que é o dia de uma pessoa deprimida. Nada de dizer que é drama, ou de diminuir o que o outro sente.

O primeiro passo para ajudar quem está em sofrimento por depressão, é a empatia.

O segundo é saber dar os encaminhamentos adequados.

Depressão é doença séria. Precisa de compreensão, atenção e tratamento com profissional capacitado para tanto.

Atualmente se fala que o tratamento da depressão é amparado por um tripé que consta com psiquiatria, psicologia e atividade física.

A psicoterapia é fundamental para a melhora do paciente.

Vamos falar mais sobre o assunto? Aguarde os próximos posts.

Está um dia cinza, mesmo com o sol lá fora. Tem tempo que não brilha o sol no meu dia.

Levantei sem vontade, pois tem que trabalhar e não quero escutar novamente que é drama ficar deitado. Eu sei que não é bom, mas não tenho vontade de fazer nada.

Passo uma água no rosto, e vou pra rua. Passando na frente de uma vitrine noto que, novamente, não fiz a barba. Não me reconheci, não vejo além da tristeza que está estampada nos olhos daquela pessoa que o reflexo me mostra.

No trabalho, só penso em voltar pra casa. Não consigo produzir nada de diferente, me tornei aquele funcionário mediano. Mas, de cera forma, estou conformado com isso. Só quero ir pra casa.

Final do dia, os colegas já nem me convidam mais para seja lá o que for, um futebol, uma cerveja. Sabem que a resposta vai ser a mesma: “outra hora”.

Chego em casa, fecho as janelas para não precisar lidar com a claridade de outro final de dia. Respondo rapidamente os mesmos questionamentos de como as coisas estão, mas cada vez de um grupo menor de pessoas. E vou dormir.

Durmo, até mais ou menos metade da madrugada, quando um pesadelo me desperta e eu fico lembrando de como minha vida era feliz, de como o sol brilhava e que pela manhã tudo era novo. Assim fico rolando de um lado para o outro até o despertador me avisar que é hora de ir trabalhar.

Achou o texto pesado? Podemos dizer que ele representa uma caricatura do que é o dia de uma pessoa deprimida. Nada de dizer que é drama, ou de diminuir o que o outro sente.

O primeiro passo para ajudar quem está em sofrimento por depressão, é a empatia.

O segundo é saber dar os encaminhamentos adequados.

Depressão é doença séria. Precisa de compreensão, atenção e tratamento com profissional capacitado para tanto.

Atualmente se fala que o tratamento da depressão é amparado por um tripé que consta com psiquiatria, psicologia e atividade física.

A psicoterapia é fundamental para a melhora do paciente.

Vamos falar mais sobre o assunto? Aguarde os próximos posts.

Compartilhe

Voltar ao blog