Blog Diego Daniel: O futuro dos escritórios

Muitos se perguntam o que acontecerá com os locais de trabalho em escritórios.
O que se diz, por enquanto, é simulações. Mas já está acontecendo no Brasil e no mundo uma nova forma de trabalho.

O que mudou é que informações e divulgação de um determinado assunto é feita através da comunicação. E comunicação nos dias de hoje é feita em grande parte das vezes por internet. Até os anos 2000, não tínhamos muitas formas de passar informação se não presencialmente ou algum dispositivo como disquetes ou CDs. Agora, essas informações, podem ser postas ou transmitidas pela internet instantaneamente, independente do lugar físico.

Empresas importantes estão se tornando home office, e cito algumas como exemplo:

  • XP inc - estão analisando construir uma vila no interior de SP

  • Stefanini - multinacional de Tecnologia - 50% (dos 14 mil funcionários) em 18 meses

  • Soft Trade, um escritório grande na Av. Berrini em SP, devolveu o imóvel e pôs todos os funcionários em home office.

  • Johnson & Johnson - 70% dos 6.500 funcionários em casa


Eu mesmo estou fazendo reuniões online com clientes, e com grupos como o Conselho de Arquitetura de Urbanismo de Santa Catarina. Evitando assim gastos com deslocamento e diárias a Florianópolis e outras cidades.

Aliás, muito dos gastos com viagem serão evitados, melhorando também a situação de ruas e transportes nas cidades, podendo afirmar mais rapidamente o que o mundo está tentando fazer: menos ruas e mais praças e parques.

Trabalhar home office, não significa trabalhar de forma desconfortável em uma sala apertada. Mas anywhere (em qualquer lugar): no café, casa de praia, shopping, coworking, inclusive no escritório de forma flexível e de forma híbrida.

Não é o local de trabalho que muda, mas a forma de trabalhar.

Reuniões, que servem para trocar informações, são pensadas agora primeiramente em virtual e em segundo caso, presencial.

Como somos pessoas com preferências diferentes, e isso é bom, o silêncio de trabalhar em casa melhora a eficiência. Para outros, que têm filhos pequenos, se torna inviável. Mas o lado positivo (e eu tento sempre olhar por esse lado) é que se pode trabalhar em qualquer lugar. E o melhor lugar cada um escolhe.

Muitos se perguntam o que acontecerá com os locais de trabalho em escritórios.
O que se diz, por enquanto, é simulações. Mas já está acontecendo no Brasil e no mundo uma nova forma de trabalho.

O que mudou é que informações e divulgação de um determinado assunto é feita através da comunicação. E comunicação nos dias de hoje é feita em grande parte das vezes por internet. Até os anos 2000, não tínhamos muitas formas de passar informação se não presencialmente ou algum dispositivo como disquetes ou CDs. Agora, essas informações, podem ser postas ou transmitidas pela internet instantaneamente, independente do lugar físico.

Empresas importantes estão se tornando home office, e cito algumas como exemplo:

  • XP inc – estão analisando construir uma vila no interior de SP
  • Stefanini – multinacional de Tecnologia – 50% (dos 14 mil funcionários) em 18 meses
  • Soft Trade, um escritório grande na Av. Berrini em SP, devolveu o imóvel e pôs todos os funcionários em home office.
  • Johnson & Johnson – 70% dos 6.500 funcionários em casa

Eu mesmo estou fazendo reuniões online com clientes, e com grupos como o Conselho de Arquitetura de Urbanismo de Santa Catarina. Evitando assim gastos com deslocamento e diárias a Florianópolis e outras cidades.

Aliás, muito dos gastos com viagem serão evitados, melhorando também a situação de ruas e transportes nas cidades, podendo afirmar mais rapidamente o que o mundo está tentando fazer: menos ruas e mais praças e parques.

Trabalhar home office, não significa trabalhar de forma desconfortável em uma sala apertada. Mas anywhere (em qualquer lugar): no café, casa de praia, shopping, coworking, inclusive no escritório de forma flexível e de forma híbrida.

Não é o local de trabalho que muda, mas a forma de trabalhar.

Reuniões, que servem para trocar informações, são pensadas agora primeiramente em virtual e em segundo caso, presencial.

Como somos pessoas com preferências diferentes, e isso é bom, o silêncio de trabalhar em casa melhora a eficiência. Para outros, que têm filhos pequenos, se torna inviável. Mas o lado positivo (e eu tento sempre olhar por esse lado) é que se pode trabalhar em qualquer lugar. E o melhor lugar cada um escolhe.

Compartilhe

Voltar ao blog