Ato contra o Governo Federal será realizado no final de semana em Araranguá

Organizadores querem mobilizar centenas de pessoas para manifestar apoio, inclusive, a necessidade de vacinação gratuita contra Covid-19 para todos

FOTO: Ilustração - Igor Sperotto/Arquivo EC

A chamada “Carreata pela Vida” vai acontecer no próximo domingo, 21, e tem como objetivo reivindicar a vacinação gratuita contra o Covid-19 para toda a população, retorno do auxílio emergencial, contra a reforma administrativa e a privatização dos serviços públicos, em defesa dos direitos, além da saída presidente Jair Bolsonaro do comando do país.

O movimento é organizado por um coletivo que envolve sindicatos, partidos políticos e entidades civis organizadas. De acordo com um dos organizadores, o professor, Felipe Damásio, a expectativa é reunir cerca de 500 pessoas, e em torno de cem carros. A carreata deve percorrer algumas ruas da cidade e terá como ponto de partida a Av. Xv de Novembro em frente a sede da Amesc às 9hs. “Faz parte do movimento nacional de oposição a gestão do governo federal durante a pandemia e as reformas anti-povo da agenda liberal de Paulo Guedes. Neste domingo além de Araranguá, vai ter o ato em Porto Alegre, Blumenau, Floripa, Chapecó”, contou o professor universitário que concorreu às eleições municipais como candidato a prefeito ano passado.



O grupo também emitiu um comunicado oficial sobre o movimento:

 “Nossa Carreata pela Vida ocorrerá no dia 21/02 e a concentração será em frente Amesc de Araranguá/SC às 09 horas.

Em Araranguá, pessoas de diversos movimentos sociais vão promover uma carreata em defesa da vida.

Reconhecemos um governo que não se preocupa com as pessoas, pois negou o quanto pode, os efeitos danosos da pandemia, ignorou as mortes, o desemprego e o fechamento das pequenas empresas.

Ataca os serviços públicos e servidores que estão na linha de frente salvando vidas, ignorando “os privilegiados”.

Os servidores públicos levam aos brasileiros e brasileiras um pouco de dignidade, estão em nossos hospitais, escolas, na segurança pública, enfim, em todos os lugares há um servidor público agindo pelo bem-estar das pessoas.

Aos trabalhadores públicos e privados, a luta é de todos!

Precisamos recuperar os direitos básicos que tragam dignidade para todas às famílias.

Nossa luta é pela vacina gratuita e para todos, somente assim recuperaremos a atividade econômica e os empregos.

O retorno do auxílio emergencial para evitar a falta de comida e itens básicos para uma vida digna a qualquer brasileiro e brasileira.

Que este governo, responsável por muitas mortes e pelo maior desemprego dos últimos anos, seja responsabilizado.

Nossa luta é pela vida!”

 

A chamada “Carreata pela Vida” vai acontecer no próximo domingo, 21, e tem como objetivo reivindicar a vacinação gratuita contra o Covid-19 para toda a população, retorno do auxílio emergencial, contra a reforma administrativa e a privatização dos serviços públicos, em defesa dos direitos, além da saída presidente Jair Bolsonaro do comando do país.

O movimento é organizado por um coletivo que envolve sindicatos, partidos políticos e entidades civis organizadas. De acordo com um dos organizadores, o professor, Felipe Damásio, a expectativa é reunir cerca de 500 pessoas, e em torno de cem carros. A carreata deve percorrer algumas ruas da cidade e terá como ponto de partida a Av. Xv de Novembro em frente a sede da Amesc às 9hs. “Faz parte do movimento nacional de oposição a gestão do governo federal durante a pandemia e as reformas anti-povo da agenda liberal de Paulo Guedes. Neste domingo além de Araranguá, vai ter o ato em Porto Alegre, Blumenau, Floripa, Chapecó”, contou o professor universitário que concorreu às eleições municipais como candidato a prefeito ano passado.

O grupo também emitiu um comunicado oficial sobre o movimento:

 “Nossa Carreata pela Vida ocorrerá no dia 21/02 e a concentração será em frente Amesc de Araranguá/SC às 09 horas.

Em Araranguá, pessoas de diversos movimentos sociais vão promover uma carreata em defesa da vida.

Reconhecemos um governo que não se preocupa com as pessoas, pois negou o quanto pode, os efeitos danosos da pandemia, ignorou as mortes, o desemprego e o fechamento das pequenas empresas.

Ataca os serviços públicos e servidores que estão na linha de frente salvando vidas, ignorando “os privilegiados”.

Os servidores públicos levam aos brasileiros e brasileiras um pouco de dignidade, estão em nossos hospitais, escolas, na segurança pública, enfim, em todos os lugares há um servidor público agindo pelo bem-estar das pessoas.

Aos trabalhadores públicos e privados, a luta é de todos!

Precisamos recuperar os direitos básicos que tragam dignidade para todas às famílias.

Nossa luta é pela vacina gratuita e para todos, somente assim recuperaremos a atividade econômica e os empregos.

O retorno do auxílio emergencial para evitar a falta de comida e itens básicos para uma vida digna a qualquer brasileiro e brasileira.

Que este governo, responsável por muitas mortes e pelo maior desemprego dos últimos anos, seja responsabilizado.

Nossa luta é pela vida!”

 

Compartilhe

Voltar às notícias