Assassina confessa do próprio pai tem prisão preventiva decretada

Acusada foi encaminhada a Penitenciária Sul na última quinta-feira


O juiz da 2ª Vara da comarca de Içara, Fernando Dal Bó Martins, decretou a prisão preventiva de uma mulher de 34 anos, que confessou ter planejado o latrocínio, roubo seguido de morte, do próprio pai. Ela foi presa na tarde de quinta-feira, 24, e encaminhada à Penitenciária Sul, em Criciúma.


As investigações do crime iniciaram no dia 9 de janeiro deste ano, quando o automóvel do homem, de 69 anos, foi encontrado incendiado em Balneário Rincão e, ao procurar o proprietário do veículo, a autoridade policial constatou que parte de sua residência também estava queimada. Iniciaram-se então as buscas pela vítima e o corpo do idoso foi encontrado, à tarde, em um matagal na cidade de Nova Veneza, a cerca de 50 km de sua residência.


O fato chocou a população da região pelos requintes de crueldade, participação da filha da vítima, sua confissão e ela ter declarado não estar arrependida quando questionada publicamente sobre o crime, que teria sido motivado por vingança relacionada a questões de violência doméstica contra ela, a mãe e os irmãos.

O juiz da 2ª Vara da comarca de Içara, Fernando Dal Bó Martins, decretou a prisão preventiva de uma mulher de 34 anos, que confessou ter planejado o latrocínio, roubo seguido de morte, do próprio pai. Ela foi presa na tarde de quinta-feira, 24, e encaminhada à Penitenciária Sul, em Criciúma.

As investigações do crime iniciaram no dia 9 de janeiro deste ano, quando o automóvel do homem, de 69 anos, foi encontrado incendiado em Balneário Rincão e, ao procurar o proprietário do veículo, a autoridade policial constatou que parte de sua residência também estava queimada. Iniciaram-se então as buscas pela vítima e o corpo do idoso foi encontrado, à tarde, em um matagal na cidade de Nova Veneza, a cerca de 50 km de sua residência.

O fato chocou a população da região pelos requintes de crueldade, participação da filha da vítima, sua confissão e ela ter declarado não estar arrependida quando questionada publicamente sobre o crime, que teria sido motivado por vingança relacionada a questões de violência doméstica contra ela, a mãe e os irmãos.

Compartilhe

Voltar às notícias