Arquiteto cria projeto de Parque Urbano em Araranguá

Projeto seria implantado na avenida XV de Novembro

Já pensou em um parque urbano no centro da cidade, voltado ao lazer, com estrutura para recreação, prática de esportes, pedalinho, praça do mirante, palco natural e várias outras atrações? O arquiteto e urbanista Diego Daniel pensou exatamente em tudo isso para o Centro de Araranguá.


Recentemente ele apresentou o projeto do Parque Urbano na Câmara de Vereadores. “O que apresentei poderá impactar a cidade de tal forma que haverá uma Araranguá antes e depois desta obra. E é de tal importância, que eu, nascido nesta cidade, faço votos, não para minha geração, mas para meus filhos e netos poderem viver em uma cidade com essa joia urbana a ser construída”, destaca.


Ele destaca o potencial que a cidade possui, porém pouco aproveitado. “Além de poucas áreas verdes de lazer, como inexistência de um parque urbano, temos poucas praças e se utiliza locais não apropriados e inseguros para o lazer e atividades físicas, como canteiros centrais em nossas avenidas, por exemplo. Temos apenas um ponto turístico importante, o Morro dos Conventos, porém está fora da cidade, não podendo ser utilizado rotineiramente”, afirma.


Diego enxergou, num local centralizado, um potencial significativo para a implantação do Parque. “Há uma grande área central disponível e sem muitas construções existentes, que poderia ser a grande joia de nossa cidade. Trata-se da região entre a XV de Novembro e o Açude Belinzone. É uma área considerada APP (Área de Preservação Permanente), pois está em uma cota abaixo de cinco metros e é alagada com cheias do rio e chuvas intensas. É também uma grande área de uso público”, explica.



Benefícios


O arquiteto destaca os principais benefícios com a criação de um parque urbano dentro da área central de fácil acessibilidade. São eles:


- Recreação


- Prática de esportes


- Atividades físicas


- Educação Ambiental (escolas)


- Contemplação


- Convívio da população/ Fomentando encontros


- Turismo / Ponto Turístico


- Construção de um marco urbano/ referência dentro da cidade


- Melhoria da qualidade do ar


- Melhoria da saúde e o bem-estar público


- Absorção e escoamento das águas pluviais e fluviais


- Estímulo da flora e a fauna local



Atrativos


Praça do Mirante


Na área mais alta do terreno, reutilizando a chaminé histórica onde era feita a moagem de milho pela família Belinzoni.



Reforma e ampliação do Ginásio Bolha


Reforma e ampliação com quadras de esporte, salão de jogos, academias, banheiros e albergue;



Passarelas


Utilizando os lagos reformulados utilizaria um passeio por cima destes através de passarelas de madeira;


Pedalinho


Dentro dos lagos, como forma de atração e contemplação;


Centro Educacional da Água


Museu educativo dentro da área do Açude, ajudando a conscientização do uso da água e a preservação do local;



Palco natural


Aproveitando a inclinação do terreno é possível criar áreas de eventos, sendo o terreno natural como arquibancada.



Dados do Parque


Área: 265 mil m²
Investimento previsto: R$ 30 milhões


Já pensou em um parque urbano no centro da cidade, voltado ao lazer, com estrutura para recreação, prática de esportes, pedalinho, praça do mirante, palco natural e várias outras atrações? O arquiteto e urbanista Diego Daniel pensou exatamente em tudo isso para o Centro de Araranguá.

Recentemente ele apresentou o projeto do Parque Urbano na Câmara de Vereadores. “O que apresentei poderá impactar a cidade de tal forma que haverá uma Araranguá antes e depois desta obra. E é de tal importância, que eu, nascido nesta cidade, faço votos, não para minha geração, mas para meus filhos e netos poderem viver em uma cidade com essa joia urbana a ser construída”, destaca.

Ele destaca o potencial que a cidade possui, porém pouco aproveitado. “Além de poucas áreas verdes de lazer, como inexistência de um parque urbano, temos poucas praças e se utiliza locais não apropriados e inseguros para o lazer e atividades físicas, como canteiros centrais em nossas avenidas, por exemplo. Temos apenas um ponto turístico importante, o Morro dos Conventos, porém está fora da cidade, não podendo ser utilizado rotineiramente”, afirma.

Diego enxergou, num local centralizado, um potencial significativo para a implantação do Parque. “Há uma grande área central disponível e sem muitas construções existentes, que poderia ser a grande joia de nossa cidade. Trata-se da região entre a XV de Novembro e o Açude Belinzone. É uma área considerada APP (Área de Preservação Permanente), pois está em uma cota abaixo de cinco metros e é alagada com cheias do rio e chuvas intensas. É também uma grande área de uso público”, explica.

Benefícios

O arquiteto destaca os principais benefícios com a criação de um parque urbano dentro da área central de fácil acessibilidade. São eles:

– Recreação

– Prática de esportes

– Atividades físicas

– Educação Ambiental (escolas)

– Contemplação

– Convívio da população/ Fomentando encontros

– Turismo / Ponto Turístico

– Construção de um marco urbano/ referência dentro da cidade

– Melhoria da qualidade do ar

– Melhoria da saúde e o bem-estar público

– Absorção e escoamento das águas pluviais e fluviais

– Estímulo da flora e a fauna local

Atrativos

Praça do Mirante

Na área mais alta do terreno, reutilizando a chaminé histórica onde era feita a moagem de milho pela família Belinzoni.

Reforma e ampliação do Ginásio Bolha

Reforma e ampliação com quadras de esporte, salão de jogos, academias, banheiros e albergue;

Passarelas

Utilizando os lagos reformulados utilizaria um passeio por cima destes através de passarelas de madeira;

Pedalinho

Dentro dos lagos, como forma de atração e contemplação;

Centro Educacional da Água

Museu educativo dentro da área do Açude, ajudando a conscientização do uso da água e a preservação do local;

Palco natural

Aproveitando a inclinação do terreno é possível criar áreas de eventos, sendo o terreno natural como arquibancada.

Dados do Parque

Área: 265 mil m²
Investimento previsto: R$ 30 milhões

Compartilhe

Voltar às notícias