Araranguá mobiliza-se para atrair Mercado Livre para a cidade

De acordo com a administração pública local, foi oficiado o interesse em receber a empresa

Foto: Divulgação/Mercado Livre

Por Dyessica Abadi

Uma notícia que circulou nos vizinhos gaúchos atraiu a atenção dos catarinenses da região do Extremo Sul: recentemente, a gigante de e-commerce, Mercado Livre, desistiu de abrir um Centro de Distribuição (CD) em Gravataí, cidade da Grande Porto Alegre, por falta de incentivos fiscais do Governo do Estado do RS. A desistência alertou autoridades públicas de Araranguá, que objetivam trazer a empresa ao município.

Questionado se a Prefeitura Municipal havia feito alguma movimentação para atrair o Mercado Livre à Araranguá, o secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, Francisco Diello, respondeu positivamente. "Nós já fizemos uma movimentação nesse sentido quando foi noticiado que a empresa não iria para Gravataí. Nós elaboramos um Ofício e encaminhamos ao Governo do Estado de Santa Catarina", revela.
Nós entramos em contato com eles (Mercado Livre) e nos colocamos a disposição e descrevemos todo o nosso potencial para poder estar recebendo a empresa dentro de Araranguá". Francisco Diello, secretário de Planejamento, Indústria e Comércio de Araranguá.

De acordo com o representante da administração pública local, foi oficiado o interesse de Araranguá em receber a empresa, destacando os potenciais do município. "Direcionamos o Ofício às lideranças politicas, como o Deputado Estadual, José Milton Scheffer, à própria empresa Mercado Livre e ao Governo do Estado", destaca. O secretário do município irá encontra-se na próxima semana com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira, para encaminhar os trabalhos com mais clareza e firmeza.

"Logisticamente, eles só teriam a ganhar", diz presidente da Câmara de Vereadores


Para o presidente da Câmara de Vereadores de Araranguá, Daniel Viriato Afonso, a instalação do Centro de Distribuição da empresa na cidade seria uma excelente oportunidade de desenvolvimento econômico para o município. “Tomamos conhecimento desta possibilidade e no mesmo momento solicitei para a secretaria de Planejamento que tomasse providências para viabilizar a vinda do Mercado Livre”, disse.

O representante dos vereadores foi o autor da lei de criação do Parque Industrial de Araranguá. Daniel Viriato Afonso acredita que o município de Araranguá teria muito a oferecer para a empresa. “Nosso município é localizado entre duas capitais, seria uma oportunidade muito boa de instalarem o centro de distribuições aqui. Logisticamente, eles só teriam a ganhar e nós também com a geração de empregos”, analisa o vereador.

AMESC sem posicionamento


A redação do Portal W3 entrou em contato com a assessoria de imprensa da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) para saber se a vinda da empresa à região seria uma possibilidade. Não houve posicionamento do presidente, prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva. Devido aos estragos causados pelo vendaval dos últimos dias, a equipe da unidade organizacional de movimento econômico da instituição também não conseguiu responder às perguntas até o momento.

Governo do Estado afirma que garantiu concessão de regime especial à empresa


A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual da Fazenda de Santa Catarina informa que atendeu a empresa Mercado Livre em reunião realizada no mês de março. Na ocasião, o secretário, Paulo Eli, teria garantido a concessão de regime especial solicitado pela empresa, relativo às obrigações acessóricas. Depois deste encontro, o Governo alega não ter havido contato posterior.

Mercado Livre busca instalar-se na Região Sul


Além de movimentar o PIB (Produto Interno Bruto) da cidade em que irá se instalar, o Centro de Distribuição do Mercado Livre também irá ofertar trabalho aos habitantes locais — em Gravataí, seriam novas 500 vagas de empregos. A empresa argentina busca um novo local entre Santa Catarina e Paraná para instalar o CD que ficará responsável pela Região Sul do Brasil, um dos principais mercados para os vendedores e compradores da plataforma.

O Portal W3 entrou em contato com a assessoria de imprensa do Mercado Livre para buscar maiores esclarecimentos, mas não obtivemos respostas até a conclusão da matéria. A reportagem irá acompanhar o desfecho do caso.

Foto: Divulgação/Mercado Livre

Por Dyessica Abadi

Uma notícia que circulou nos vizinhos gaúchos atraiu a atenção dos catarinenses da região do Extremo Sul: recentemente, a gigante de e-commerce, Mercado Livre, desistiu de abrir um Centro de Distribuição (CD) em Gravataí, cidade da Grande Porto Alegre, por falta de incentivos fiscais do Governo do Estado do RS. A desistência alertou autoridades públicas de Araranguá, que objetivam trazer a empresa ao município.

Questionado se a Prefeitura Municipal havia feito alguma movimentação para atrair o Mercado Livre à Araranguá, o secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, Francisco Diello, respondeu positivamente. “Nós já fizemos uma movimentação nesse sentido quando foi noticiado que a empresa não iria para Gravataí. Nós elaboramos um Ofício e encaminhamos ao Governo do Estado de Santa Catarina”, revela.

Nós entramos em contato com eles (Mercado Livre) e nos colocamos a disposição e descrevemos todo o nosso potencial para poder estar recebendo a empresa dentro de Araranguá”. Francisco Diello, secretário de Planejamento, Indústria e Comércio de Araranguá.

De acordo com o representante da administração pública local, foi oficiado o interesse de Araranguá em receber a empresa, destacando os potenciais do município. “Direcionamos o Ofício às lideranças politicas, como o Deputado Estadual, José Milton Scheffer, à própria empresa Mercado Livre e ao Governo do Estado”, destaca. O secretário do município irá encontra-se na próxima semana com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira, para encaminhar os trabalhos com mais clareza e firmeza.

“Logisticamente, eles só teriam a ganhar”, diz presidente da Câmara de Vereadores

Para o presidente da Câmara de Vereadores de Araranguá, Daniel Viriato Afonso, a instalação do Centro de Distribuição da empresa na cidade seria uma excelente oportunidade de desenvolvimento econômico para o município. “Tomamos conhecimento desta possibilidade e no mesmo momento solicitei para a secretaria de Planejamento que tomasse providências para viabilizar a vinda do Mercado Livre”, disse.

O representante dos vereadores foi o autor da lei de criação do Parque Industrial de Araranguá. Daniel Viriato Afonso acredita que o município de Araranguá teria muito a oferecer para a empresa. “Nosso município é localizado entre duas capitais, seria uma oportunidade muito boa de instalarem o centro de distribuições aqui. Logisticamente, eles só teriam a ganhar e nós também com a geração de empregos”, analisa o vereador.

AMESC sem posicionamento

A redação do Portal W3 entrou em contato com a assessoria de imprensa da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) para saber se a vinda da empresa à região seria uma possibilidade. Não houve posicionamento do presidente, prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva. Devido aos estragos causados pelo vendaval dos últimos dias, a equipe da unidade organizacional de movimento econômico da instituição também não conseguiu responder às perguntas até o momento.

Governo do Estado afirma que garantiu concessão de regime especial à empresa

A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual da Fazenda de Santa Catarina informa que atendeu a empresa Mercado Livre em reunião realizada no mês de março. Na ocasião, o secretário, Paulo Eli, teria garantido a concessão de regime especial solicitado pela empresa, relativo às obrigações acessóricas. Depois deste encontro, o Governo alega não ter havido contato posterior.

Mercado Livre busca instalar-se na Região Sul

Além de movimentar o PIB (Produto Interno Bruto) da cidade em que irá se instalar, o Centro de Distribuição do Mercado Livre também irá ofertar trabalho aos habitantes locais — em Gravataí, seriam novas 500 vagas de empregos. A empresa argentina busca um novo local entre Santa Catarina e Paraná para instalar o CD que ficará responsável pela Região Sul do Brasil, um dos principais mercados para os vendedores e compradores da plataforma.

O Portal W3 entrou em contato com a assessoria de imprensa do Mercado Livre para buscar maiores esclarecimentos, mas não obtivemos respostas até a conclusão da matéria. A reportagem irá acompanhar o desfecho do caso.

Compartilhe

Voltar às notícias