Apesar da queda de casos diários de Covid-19, Saúde faz alerta para estado grave

Taxa de recuperados na região é de 90,7%; Nesta semana, ocorreram mais 4 óbitos para o vírus, sendo a taxa de letalidade de 1,9%

Por Dyessica Abadi

A segunda semana de setembro encerra com novos 127 positivados em apenas quatro dias — uma média de 31,75 casos diários de Covid-19 no Extremo Sul Catarinense. Os dados são do último boletim epidemiológico da Associação dos Municípios (AMESC) desta sexta-feira, 11, que registra 4.998 casos confirmados para o vírus desde o início da pandemia.

O Extremo Sul Catarinense segue com uma queda no número de casos diários. Entre os dias 30 de agosto e 04 de setembro, a média era de 85 casos por dia, mesmo com oscilações no registro. Em relação ao número de óbitos, houve uma queda nesta última semana: quatro pessoas morreram em decorrência do vírus — nas duas semanas anteriores à última, eram registrados 11 óbitos por semana.

> Leia a matéria completa da semana anterior clicando aqui.

O gráfico abaixo é interativo e registra o crescimentos de casos no mês de agosto de 2020. A linha verde demonstra os casos confirmados com Covid-19 na AMESC; a azul revela o total de recuperados pelo vírus; e a linha em preto apresenta o número de mortos.

Clique ou passe o cursor sobre os pontos das linhas — assim, você terá acesso aos números registrados pelos boletins epidemiológicos.



O último boletim epidemiológico da AMESC ainda revela que a taxa de recuperados na região é de 90,7% — ou seja, dos 4.998 confirmados para o vírus, 4.450 estão curados. Até a finalização do levantamento, a região contabilizava 94 mortos para o vírus, sendo a taxa de letalidade de 1,9%.

Até às 22 horas de quinta-feira, 10, haviam 8 leitos de UTI Covid-19 ocupados no Hospital Regional de Araranguá (HRA). Ao todo, o hospital possui 18 leitos ativos para tratamento dos infectados — ou seja, 10 seguem disponíveis. A taxa de ocupação é de 44,44%.

A atualização de ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do HRA segue disponível para consulta no portal do Governo do Estado de Santa Catarina (acesse os dados completos clicando aqui).

[caption id="attachment_65917" align="aligncenter" width="1041"] Araranguá é responsável por 39,49% dos casos da região da AMESC, com 1.974 positivados para o vírus. Na sequência vem Sombrio, com 10,08%, totalizando 504 casos de Covid-19. Arte: Divulgação/AMESC[/caption]

Saúde mantém alerta para casos de Covid-19 na região


A secretária de Saúde de Araranguá, Evelyn Elias, faz o alerta: "Ainda estamos em estado grave, portanto não podemos afirmar que atingimos o pico". A responsável pela pasta refere-se à classificação de risco para contágio de Covid-19 no Extremo Sul Catarinense, que diminuiu uma posição no início de setembro, mas segue sendo grave. Saiba mais lendo a matéria completa clicando aqui.

Em comunicado, o Comitê Extraordinário Regional da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (CER-AMESC) afirma que mantém o foco na prevenção para evitar que os casos se elevem. "A região está enquadrada na matriz de risco do estado de Santa Catarina como Grave pela segunda semana seguida, o que representa que diminuíram os casos e se mantém estável", diz a nota.

“É preciso que as pessoas não descuidem dos cuidados preventivos para que os números sigam em baixa. Acompanhamos as normativas federais e estaduais e organizamos os fluxos para os municípios. Lembramos que as pessoas precisam se amparar em fontes confiáveis e buscar a seriedade em não propagar notícias falsas.  O assunto é bastante sério, no qual as equipes de saúde, junto a outros setores, trabalham com empenho em todo o mundo”, completa o coordenador do CER AMESC, Caio Barpp da Silva.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Por Dyessica Abadi

A segunda semana de setembro encerra com novos 127 positivados em apenas quatro dias — uma média de 31,75 casos diários de Covid-19 no Extremo Sul Catarinense. Os dados são do último boletim epidemiológico da Associação dos Municípios (AMESC) desta sexta-feira, 11, que registra 4.998 casos confirmados para o vírus desde o início da pandemia.

O Extremo Sul Catarinense segue com uma queda no número de casos diários. Entre os dias 30 de agosto e 04 de setembro, a média era de 85 casos por dia, mesmo com oscilações no registro. Em relação ao número de óbitos, houve uma queda nesta última semana: quatro pessoas morreram em decorrência do vírus — nas duas semanas anteriores à última, eram registrados 11 óbitos por semana.

> Leia a matéria completa da semana anterior clicando aqui.

O gráfico abaixo é interativo e registra o crescimentos de casos no mês de agosto de 2020. A linha verde demonstra os casos confirmados com Covid-19 na AMESC; a azul revela o total de recuperados pelo vírus; e a linha em preto apresenta o número de mortos.

Clique ou passe o cursor sobre os pontos das linhas — assim, você terá acesso aos números registrados pelos boletins epidemiológicos.

O último boletim epidemiológico da AMESC ainda revela que a taxa de recuperados na região é de 90,7% — ou seja, dos 4.998 confirmados para o vírus, 4.450 estão curados. Até a finalização do levantamento, a região contabilizava 94 mortos para o vírus, sendo a taxa de letalidade de 1,9%.

Até às 22 horas de quinta-feira, 10, haviam 8 leitos de UTI Covid-19 ocupados no Hospital Regional de Araranguá (HRA). Ao todo, o hospital possui 18 leitos ativos para tratamento dos infectados — ou seja, 10 seguem disponíveis. A taxa de ocupação é de 44,44%.

A atualização de ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do HRA segue disponível para consulta no portal do Governo do Estado de Santa Catarina (acesse os dados completos clicando aqui).

Araranguá é responsável por 39,49% dos casos da região da AMESC, com 1.974 positivados para o vírus. Na sequência vem Sombrio, com 10,08%, totalizando 504 casos de Covid-19. Arte: Divulgação/AMESC

Saúde mantém alerta para casos de Covid-19 na região

A secretária de Saúde de Araranguá, Evelyn Elias, faz o alerta: “Ainda estamos em estado grave, portanto não podemos afirmar que atingimos o pico”. A responsável pela pasta refere-se à classificação de risco para contágio de Covid-19 no Extremo Sul Catarinense, que diminuiu uma posição no início de setembro, mas segue sendo grave. Saiba mais lendo a matéria completa clicando aqui.

Em comunicado, o Comitê Extraordinário Regional da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (CER-AMESC) afirma que mantém o foco na prevenção para evitar que os casos se elevem. “A região está enquadrada na matriz de risco do estado de Santa Catarina como Grave pela segunda semana seguida, o que representa que diminuíram os casos e se mantém estável”, diz a nota.

“É preciso que as pessoas não descuidem dos cuidados preventivos para que os números sigam em baixa. Acompanhamos as normativas federais e estaduais e organizamos os fluxos para os municípios. Lembramos que as pessoas precisam se amparar em fontes confiáveis e buscar a seriedade em não propagar notícias falsas.  O assunto é bastante sério, no qual as equipes de saúde, junto a outros setores, trabalham com empenho em todo o mundo”, completa o coordenador do CER AMESC, Caio Barpp da Silva.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias