Amesc entende que ação conjunta dos municípios será importante neste momento da pandemia

Necessidade de cuidado diante das medidas amplamente divulgadas evita um caos ainda maior na saúde, reconhecem prefeitos em reunião

Os prefeitos da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) reforçam a importância da prevenção para evitar o aumento da contaminação dos casos de covid-19. Reunidos de forma virtual por pedido do CER (Comitê Extraordinário Regional Covid-19 - Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) e CIR (Comissão Intergestores Regional Saúde) os encaminhamentos prevêem pensar as estratégias conjuntas de conscientização e prevenção e oficializar o pedido de atenção e orientação por parte do governo do estado e órgãos de segurança.

A coordenadora de Políticas Públicas da AMESC, Rosangela Paulino Alexandrino, pontuou a preocupação com a elevação dos casos diante dos boletins regionais. A média tem sido de 200 casos diários, sendo que o boletim do final de semana (27 a 30/11) foram 526 casos.

O presidente do CER, Caio Barp, em seu último ato oficial a frente do Comitê, observou que o levantamento desta terça (01/12) mostra o alto índice de ocupação dos leitos de UTI no extremo sul, sendo que as secretarias de Saúde conforme a última reunião do CER, já reorganizaram os fluxos de atendimento a fim de minimizar a contaminação, bem como centrar esforços. A coordenadora do CIR, Elixsandra da Silva Mota, citou o cansaço dos profissionais de saúde. “Além de meses de trabalho árduo há muitos afastamento de casos positivos. Há as transições entre governos, são várias situações diante deste quadro de pandemia para ser refletido”.

Segundo o presidente da AMESC, prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva, nos próximos dias será organizada uma nova forma de conscientização conjunta dos municípios, sendo que individualmente, todos tem feito também a sua parte. “A intenção não tem sido com foco em fechar os comércios, mas que as pessoas reflitam e tomem cuidado diante de suas necessidades. É preciso se cuidar para evitar este colapso que passamos. Com certeza a análise é que as eleições contribuíram para o agravamento, mas não podemos deixar a situação ir piorando, teremos ainda semanas de muita luta até sair a vacina contra o coronavírus. Vamos pedir apoio do Governo do Estado, porque os municípios sozinhos não possuem a mesma força e vivem um momento de transição. Os órgãos de segurança também são suporte para nós porque as pessoas confiam e obedecem aos seus apelos”.

 

Os prefeitos da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) reforçam a importância da prevenção para evitar o aumento da contaminação dos casos de covid-19. Reunidos de forma virtual por pedido do CER (Comitê Extraordinário Regional Covid-19 – Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) e CIR (Comissão Intergestores Regional Saúde) os encaminhamentos prevêem pensar as estratégias conjuntas de conscientização e prevenção e oficializar o pedido de atenção e orientação por parte do governo do estado e órgãos de segurança.

A coordenadora de Políticas Públicas da AMESC, Rosangela Paulino Alexandrino, pontuou a preocupação com a elevação dos casos diante dos boletins regionais. A média tem sido de 200 casos diários, sendo que o boletim do final de semana (27 a 30/11) foram 526 casos.

O presidente do CER, Caio Barp, em seu último ato oficial a frente do Comitê, observou que o levantamento desta terça (01/12) mostra o alto índice de ocupação dos leitos de UTI no extremo sul, sendo que as secretarias de Saúde conforme a última reunião do CER, já reorganizaram os fluxos de atendimento a fim de minimizar a contaminação, bem como centrar esforços. A coordenadora do CIR, Elixsandra da Silva Mota, citou o cansaço dos profissionais de saúde. “Além de meses de trabalho árduo há muitos afastamento de casos positivos. Há as transições entre governos, são várias situações diante deste quadro de pandemia para ser refletido”.

Segundo o presidente da AMESC, prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva, nos próximos dias será organizada uma nova forma de conscientização conjunta dos municípios, sendo que individualmente, todos tem feito também a sua parte. “A intenção não tem sido com foco em fechar os comércios, mas que as pessoas reflitam e tomem cuidado diante de suas necessidades. É preciso se cuidar para evitar este colapso que passamos. Com certeza a análise é que as eleições contribuíram para o agravamento, mas não podemos deixar a situação ir piorando, teremos ainda semanas de muita luta até sair a vacina contra o coronavírus. Vamos pedir apoio do Governo do Estado, porque os municípios sozinhos não possuem a mesma força e vivem um momento de transição. Os órgãos de segurança também são suporte para nós porque as pessoas confiam e obedecem aos seus apelos”.

 

Compartilhe

Voltar às notícias