Blog Rosane Machado: A quarentena e seus efeitos

Rosane Machado, 06/04/2020

Muita gente tem reclamado de ter de ficar em casa. Talvez seja porque não suportem ficarem parados. O dia a dia faz com que tenhamos um ritmo acelerado e, pra estacionar, só aos finais de semana.

O tédio e a depressão assolam a muitos e acabam ceifando vidas, como casos que ouvi que aconteceram em um município vizinho. Porque ficar só consigo mesmo, quando as coisas não vão muito bem, é complicado, é delicado, é por demais perigoso.

Perdi minhas digitais de tantas faxinas feitas, porém consegui encontrar coisas que eu nem procurava mais, menos dinheiro. Também organizei papéis, separei algumas roupas... Organizei como achava que deveria ser tudo organizado... e a correria da rotina que retornará que preserve a ordem estabelecida. Oremos!

Lancei uma pergunta no Facebook porque fiquei curiosa em saber como as pessoas estão lidando com esta reclusão forçada. Confesso que eu adoro estar em casa, entretanto, lamento pelos meus cachorros que não podem sair pra passear e estão ficando estressados com isso.

Perguntei: o que vocês têm feito na quarentena que nunca fizeram? As respostas foram até bem variadas. Algumas engraçadas.

Muitas pessoas voltaram-se para os trabalhos manuais, como, tricô, crochê, trabalhos em EVA. Outras mostraram-se doceiras e salgadeiras de mão cheia: todo o dia a foto de um prato novo.

Um de meus amigos de face disse que está lavando o banheiro de escovinha e uma fez-me rir muito: está usando as cuecas do marido. Uma amiga até deu uma de pintora, vejam só: pintou o próprio quarto!

Estou preocupada com o mau hábito de ficar acordada até tarde pra ver filmes e séries. Quando tudo normalizar, terei de me disciplinar pra dormir cedo e acordar cedo novamente. Não adianta, mesmo diante de um grande problema como esse pelo qual estamos passando, a sensação de férias persiste. Contudo não saio pra fazer festa e nem reúno o povo aqui em casa, preservo-me.

Anunciaram há pouco que as coisas retornarão na próxima semana, mais precisamente amanhã. Algumas atividades estão autorizadas a abrir seus estabelecimentos. Espero que tenham avisado ao vírus que tudo está voltando à normalidade.

Preciso trabalhar, ganhar dinheiro pra pagar as contas que continuam chegando e acumulando, mas tenho idosos em casa e não posso arriscar toda uma logística que tem dado certo. Todo um esforço em higiene pra que nada os afete.

Entretanto sei que tudo isso tudo passará. Acredito que sairemos mais fortes e mais conscientes do que realmente vale a pena. E espero que não seja coisa de momento, que esta sensação e a determinação de prosseguir perdurem!

Façamos que todo o nosso resguardo, todo a nossa cautela surtam efeito e deem os melhores frutos. E finalmente teremos aprendido a importância de saber lavar as mãos!

Muita gente tem reclamado de ter de ficar em casa. Talvez seja porque não suportem ficarem parados. O dia a dia faz com que tenhamos um ritmo acelerado e, pra estacionar, só aos finais de semana.

O tédio e a depressão assolam a muitos e acabam ceifando vidas, como casos que ouvi que aconteceram em um município vizinho. Porque ficar só consigo mesmo, quando as coisas não vão muito bem, é complicado, é delicado, é por demais perigoso.

Perdi minhas digitais de tantas faxinas feitas, porém consegui encontrar coisas que eu nem procurava mais, menos dinheiro. Também organizei papéis, separei algumas roupas… Organizei como achava que deveria ser tudo organizado… e a correria da rotina que retornará que preserve a ordem estabelecida. Oremos!

Lancei uma pergunta no Facebook porque fiquei curiosa em saber como as pessoas estão lidando com esta reclusão forçada. Confesso que eu adoro estar em casa, entretanto, lamento pelos meus cachorros que não podem sair pra passear e estão ficando estressados com isso.

Perguntei: o que vocês têm feito na quarentena que nunca fizeram? As respostas foram até bem variadas. Algumas engraçadas.

Muitas pessoas voltaram-se para os trabalhos manuais, como, tricô, crochê, trabalhos em EVA. Outras mostraram-se doceiras e salgadeiras de mão cheia: todo o dia a foto de um prato novo.

Um de meus amigos de face disse que está lavando o banheiro de escovinha e uma fez-me rir muito: está usando as cuecas do marido. Uma amiga até deu uma de pintora, vejam só: pintou o próprio quarto!

Estou preocupada com o mau hábito de ficar acordada até tarde pra ver filmes e séries. Quando tudo normalizar, terei de me disciplinar pra dormir cedo e acordar cedo novamente. Não adianta, mesmo diante de um grande problema como esse pelo qual estamos passando, a sensação de férias persiste. Contudo não saio pra fazer festa e nem reúno o povo aqui em casa, preservo-me.

Anunciaram há pouco que as coisas retornarão na próxima semana, mais precisamente amanhã. Algumas atividades estão autorizadas a abrir seus estabelecimentos. Espero que tenham avisado ao vírus que tudo está voltando à normalidade.

Preciso trabalhar, ganhar dinheiro pra pagar as contas que continuam chegando e acumulando, mas tenho idosos em casa e não posso arriscar toda uma logística que tem dado certo. Todo um esforço em higiene pra que nada os afete.

Entretanto sei que tudo isso tudo passará. Acredito que sairemos mais fortes e mais conscientes do que realmente vale a pena. E espero que não seja coisa de momento, que esta sensação e a determinação de prosseguir perdurem!

Façamos que todo o nosso resguardo, todo a nossa cautela surtam efeito e deem os melhores frutos. E finalmente teremos aprendido a importância de saber lavar as mãos!

Compartilhe

Voltar ao blog