Profissões Resilientes: Barbearia Salão Campinas 54 anos de história

Há 54 anos o Salão Campinas existe no bairro Cidade Alta em Araranguá, umas das barbearias mais tradicionais da cidade.  Embora pipoquem estabelecimentos vintage por aí, o Salão Campinas tem a capacidade de te levar para outras décadas.

Tudo é muito saudosista, desde a cadeira até o avental usado pelos barbeiros. E, embora não seja o fundador do estabelecimento, Ênio Candido, de 78 anos, atual proprietário, aprendeu com quem abriu as portas pelas primeiras vezes, conhecido como Bastião, já falecido.



Candido relembra rindo “Isso aqui era bem vazio, não tinha nada. Cada bairro tinha quatro casas, um açougue, bar e campo de futebol".

Ênio trabalha na barbearia há 44 anos, conta que começou a se aventurar a cortar cabelo quando morava no interior. Seus primeiros clientes foram seus primos e o seu pai e que só depois decidiu levar isso como oficio.

Quando perguntado se ele se vê parando de parar de trabalhar, ele respondeu rapidamente “só vou parar quando eu não puder mais, isso aqui é um serviço muito bom”. Com todo orgulho do mundo, Ênio conta que criou cinco filhos com o dinheiro que vem dali.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Há 54 anos o Salão Campinas existe no bairro Cidade Alta em Araranguá, umas das barbearias mais tradicionais da cidade.  Embora pipoquem estabelecimentos vintage por aí, o Salão Campinas tem a capacidade de te levar para outras décadas.

Tudo é muito saudosista, desde a cadeira até o avental usado pelos barbeiros. E, embora não seja o fundador do estabelecimento, Ênio Candido, de 78 anos, atual proprietário, aprendeu com quem abriu as portas pelas primeiras vezes, conhecido como Bastião, já falecido.

Candido relembra rindo “Isso aqui era bem vazio, não tinha nada. Cada bairro tinha quatro casas, um açougue, bar e campo de futebol”.

Ênio trabalha na barbearia há 44 anos, conta que começou a se aventurar a cortar cabelo quando morava no interior. Seus primeiros clientes foram seus primos e o seu pai e que só depois decidiu levar isso como oficio.

Quando perguntado se ele se vê parando de parar de trabalhar, ele respondeu rapidamente “só vou parar quando eu não puder mais, isso aqui é um serviço muito bom”. Com todo orgulho do mundo, Ênio conta que criou cinco filhos com o dinheiro que vem dali.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias